Ainda é um bebé de berço, mas conseguiu superar um parto que é sempre complicado. Nasceu, na semana passada, para alegria de muitos e, com certeza, vai crescer e espalhar as suas qualidades pela cidade que a acolheu: o Porto!

Ócios é “uma revista de pendor cultural”, gratuita, que pretende valorizar “a diversidade de iniciativas e opiniões que sobrevivem na correria dos centros urbanos. Ócios pode ser encontrada num café, bar, banco de jardim ou de comboio, no percurso Porto-Aveiro.” Assim diz a editora e minha amiga Maria Vítor Mota, a quem felicito por este magnífico projecto.

“Queremos instituir o direito a tornar o tempo livre para conversar, ler, imaginar projectos sentidos e lançarmo-nos a eles. Tornar o tempo livre, dar ao ócio um novo sentido. Um sentido que nos permita ultrapassar a crise que vivemos, dentro e for de nós. Vivam as iniciativas em tempo de crise!” (Ócios)

Sonhar é acreditar. São os sonhos que transformam a realidade e impedem o conformismo, a rendição. Acreditar quando todos baixam os braços e desistem porque acham que não vale a pena. O tempo não pode ser perdido. Ainda temos direito ao ócio e enquanto assim for podemos mudar o nosso mundo, o pouco tempo que temos para nós.

Como diz a Maria Vítor, “porque ócio sem cultura é como um almoço de domingo sem companhia”.