Cultura


gato-em-circulo

LIVRARIA GATO VADIO

Rua do rosário, 281 – Porto
telefone: 22 2026016
email: gatovadio.livraria@gmail.com


horário
:

Tarde:
quinta a domingo das 15h – 19h30

Noite:
terça a domingo das 21h – 00h59

encerramos à segunda-feira

Saber como nasceu o cinema, de que forma foi influenciado e como se desenvolveu a sua linguagem e são algumas das questões que pode ver respondidas no curso da História do Cinema, de Lumière a Godard, promovido pelo Estaleiro Cultural Velha-a-Branca, em Braga. O mestre é Luís Miguel Faria, formador na área de inglês e audiovisual, fotógrafo, operador de câmara e editor de imagem em regime independente.

A segunda edição da História do Cinema começa hoje, dia 10 de Março, e destina-se “a todos formandos que queiram entrar em contacto com os principais intervenientes, filmes e correntes do cinema”. Os potenciais alunos terão de pagar 80 euros, caso já sejam Amigos-da-Velha, caso ainda não o sejam o preço do curso fica por 100 euros. O curso tem a duração total de 40 horas, dividas em 16 sessões, a realizar às terças e quintas-feiras das 21 às 23.30 horas na Velha-a-Branca.

O programa da formação abrange temas como “O nascimento do cinema: Lumière e Méliès”, “Hollywood, o star system e os códigos do burlesco”, O Cinema Português até ao advento do sonoro”, “Citizen Kane de Orson Welles: será este o melhor filme da história do cinema?” e “O cinema de Propaganda”.

Natural de Braga, Luís Miguel Faria, o formador, tem o Diploma Superior de Estudos Ingleses da Universidade de Cambridge e a licenciatura em Tecnologia da Comunicação Audiovisual. Actualmente, lecciona Técnicas Audiovisuais e Projecto na escola profissional EPRAMI (Escola Profissional do Alto Minho Interior) em Paredes de Coura, além de também estar envolvido na produção da ficção “GTA Bracara Augusta”.

Ainda é um bebé de berço, mas conseguiu superar um parto que é sempre complicado. Nasceu, na semana passada, para alegria de muitos e, com certeza, vai crescer e espalhar as suas qualidades pela cidade que a acolheu: o Porto!

Ócios é “uma revista de pendor cultural”, gratuita, que pretende valorizar “a diversidade de iniciativas e opiniões que sobrevivem na correria dos centros urbanos. Ócios pode ser encontrada num café, bar, banco de jardim ou de comboio, no percurso Porto-Aveiro.” Assim diz a editora e minha amiga Maria Vítor Mota, a quem felicito por este magnífico projecto.

“Queremos instituir o direito a tornar o tempo livre para conversar, ler, imaginar projectos sentidos e lançarmo-nos a eles. Tornar o tempo livre, dar ao ócio um novo sentido. Um sentido que nos permita ultrapassar a crise que vivemos, dentro e for de nós. Vivam as iniciativas em tempo de crise!” (Ócios)

Sonhar é acreditar. São os sonhos que transformam a realidade e impedem o conformismo, a rendição. Acreditar quando todos baixam os braços e desistem porque acham que não vale a pena. O tempo não pode ser perdido. Ainda temos direito ao ócio e enquanto assim for podemos mudar o nosso mundo, o pouco tempo que temos para nós.

Como diz a Maria Vítor, “porque ócio sem cultura é como um almoço de domingo sem companhia”.

Um pequeno lote de cerca de 50 livros usados e antigos de temática variada (poesia, literatura, arte, artes gráficas, sociologia, etnografia, história, caça, botânica, agricultura, etc) podem ser encontrados em:

in-libris

 

SOCIEDADE PARA A PROMOÇÃO DO LIVRO E DA CULTURA
Lg. José Moreira da Silva, 11 sala A
4000-312 Porto   Portugal

e-mail in-libris@in-libris.pt

Workshop Velha a Rir

Workshop Velha a Rir

O estaleiro cultural Velha-a-Branca, em Braga, vai promover em Setembro mais um workshop, desta feita o tema abordado será o riso – Velha a Rir – promete sorrisos e muitas gargalhadas.

Este workshop propõe através do Yoga do Riso fazer uma introdução à prática do riso com ferramenta de bem-estar e recurso, proactivo, para as mais diversas situações quotidianas, aprofundando as terapias do optimismo para atingir um resultado que perdure. Também serão levadas a cabo sessões de riso compostas por exercício físico, cura, orientação, amizade e partilha.

A aplicação prática das técnicas apreendidas após o workshop permite desenvolver projectos de riso, à imagem de cada participante, preparando-o para ser líder de riso.

O riso provoca, segundo especialistas, a estimulação e liberação de endorfinas, pequenas proteínas capazes de tornar a nossa vida mais feliz, podendo aliviar a dor e tranquilizar-nos, criando a sensação de sossego ou aumentando o fluxo sanguíneo. Ao riso é atribuído um grande número de propriedades benéficas para combater problemas de saúde como enfartes, stress, depressões e insónia.

O preço do workshop é de 40 euros para sócios da Velha-a -Branca e e 45 euros para não sócios.

O workshop é dividido em quatro sessões, de uma hora cada, e realizam-se às 21h30.

 

PROGRAMA:

• 1ª Sessão – Introdução ao Yoga do Riso, 1ª sessão de riso – Actividade em Grupo

• 2ª Sessão – Os benefícios do Riso, 2ª sessão de riso

• 3ª Sessão – Humor vs Riso, 3ª sessão de riso

• 4ª Sessão – Como prepara uma sessão de Riso, 4ª sessão de riso

 

MATERIAL NECESSÁRIO

• roupa confortável

• descalço ou de meias

• mantinha/toalha para colocar no chão
 

 Mais informações através do email: info@velha-a-branca.net e dos telefones  253 618 234 / 916 249 180

 

 

O Clube de Jazz Ao Norte (CJAN) promove três concertos na última quinzena de Julho, no Porto.

Quarte-feira, dia 16, às 21.30 horas, ATOS Trio

Trio de guitarra que “pretende estabelecer pontes entre diversos ambientes e backgrounds musicais”. “Interpretam temas originais de improvisação e interpretação livre, com bastante espaço e lugar a uma infindável palete de cores”. 

Lucas Acuña – Guitarra
Gonçalo Almeida – Contrabaixo
Luís Candeias – Bateria

Entrada: 5,00€
Alunos EJAN: 3,00€

Quarte-feira, dia 23, às 21.30 horas Quinteto Luísa Vieira
Depois de ter terminado a sua licenciatura em flauta transversal na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE), Luísa Vieira enveredou pelo jazz e “encontrou na voz outro modo de se expressar”. Aliando as duas vertentes, voz e flauta, apresenta-nos um projecto em quinteto com os seus próprios arranjos de temas de compositores diversos, tais como Egberto Gismonti, Duke Ellington e Steve Swallow.

Luísa Vieira – Voz e Flauta transversal
Susana Silva – Trompete
Joaquim Rodrigues – Piano
Zé Carlos Barbosa – Contrabaixo
Mário Costa – Bateria

Entrada: 5,00€
Alunos EJAN: 3,00€

Quarta-feira, dia 30, 21.30 horas Duo Almok
Um duo que “alia a riqueza melódica própria do clarinete à qualidade harmónica latente da guitarra, originando uma união tímbrica única e envolvente, num resultado surpreendente e cativante. A sua versatilidade permite a execução de diversos tipos de repertório”.

Miguel Veríssimo – Clarinete
André Santos- Guitarra

Entrada: 5,00€
Alunos EJAN: 3,00€

www.nunopinto.ptHoje à noite, pelas 21h30, no Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, vão estar em palco Nuno Pinto (clarinete) e Elsa Silva (piano), num concerto dedicado a Schumann em 1849.

Músicos ainda jovens, Nuno Pinto e Elsa Silva apresentam-se com uma vasta experiência em concertos como solistas, em grupos de câmara e música contemporânea. Estudaram juntos na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), no Porto, onde trabalham (ele como professor, ela como pianista acompanhadora), e têm em comum vários projectos: OrchestrUtopica e Camerata Senza Misura. Esta dupla de instrumentistas pretende “dar visibilidade a uma cumplicidade musical com vários anos”.

Amanhã, às 19h00, no pequeno auditório do Centro Cultural de Belém (CCB), Nuno Pinto irá interpretar uma peça – Labirinto, de Luís Tinoco que lhe foi dedicada. O clarinetista será acompanhado pela OrchestrUtopica e este concerto insere-se no FESTIVAL IN EXTREMIS. No âmbito deste evento do CCB, Nuno Pinto voltará a tocar com a OrchesrUtopica, mas na sala Luís de Freitas Branco, no próximo dia 18, domingo, pelas 19h00.

Página seguinte »