http://www.descalvado.sp.gov.br

A alta-comissária para os Direitos Humanos da ONU, Louise Arbour, pediu mais acção à comunidade internacional no combate aos crimes contra a mulher. Por sua vez, em entrevista à Rádio ONU, Sílvia Pimentel, especialista em direitos da mulher, e membro do comité Cedaw da ONU, disse que a maioria das formas de violência está ligada ao machismo e passa como algo natural”.

Em Portugal, segundo dados da APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima), a procura de ajuda por parte das vítimas aumentou dez por cento no primeiro semestre deste ano. No ano de 2006, a APAV contou 13 600 crimes de violência doméstica (maus tratos físicos e psíquicos; ameaças; coação; difamação e injúrias; violação e outros crimes sexuais; subtracção de menores; violação da obrigação de alimentos; homicídio e outros). Assim, uma média de 112 mulheres por dia foi vítimas de violência doméstica.

A PSP recebeu 8828 denúncias em 2006 e este ano já registou 9218 casos. Nos últimos nove meses foram detidos 105 agressores e apreendidas 25 armas de fogo de defesa e 13 de caça. 

http://rebelarte.ourproject.orgA Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género refere que, no ano passado, 39 mulheres portuguesas foram mortas pelos maridos ou companheiros e outras 43 ficaram feridas com gravidade.

Um estudo de 2006 sobre os Estados Membros do Conselho da Europa mostra que 12 a 15 por cento das mulheres europeias com mais de 16 anos de idade vivem situações de violência doméstica numa relação conjugal e que muitas delas continuam a ser alvo de violência física e sexual após a ruptura.

Em Espanha, por exemplo, mais de 100 mulheres são mortas todos os anos pelos actuais ou ex-companheiros, enquanto que no Reino Unido morrem 120 mulheres por ano devido à violência doméstica.

Anúncios